• "Queremos um fundo que de fato compense as perdas da unificação do ICMS", diz Vilmar Rocha Segunda-feira, 03/08/2015 às 09:18:51

    Letícia Jury

    Mesmo sendo o dia de comemorar os 108 anos de Anápolis, assuntos políticos que interferem sobretudo no desenvolvimento econômico da cidade não podem ficar relegados. Foi o que aconteceu na última sexta-feira, dia 31, em que o secretário estadual de Meio Ambiente, Vilmar Rocha, respondeu ao jornalismo da Rádio São Francisco sobre os rumos da unificação do ICMS. O assunto é sério e delicado, pois sabe-se que as indústrias buscam o interior do Estado, principalmente o Distrito Agroindustrial de Anápolis por conta dos incentivos fiscais. 

    Vilmar Rocha foi taxativo ao dizer que espera que a promessa do governo federal de criar um 'fundo de compensação' não seja apenas uma Lei, e brincou: "que o Fundo Constitucional tenha fundo ou seja, que tenha dinheiro". "O governador Marconi Perillo colocou (durante encontro com a presidente Dilma e demais governadores) com muita firmeza a posição de Goiás", destacou. O secretário recordou da instalação da Hyundai em Anápolis, o que segundo ele foi possível em decorrências dos incentivos fiscais. 

    A Medida Provisória,  que cria o Fundo de Compensação e Desenvolvimento Regional para os Estados e o Fundo de Auxílio à Convergência das  Alíquotas do Imposto  sobre  Operações relativas à Circulação de Mercadorias, foi publicada no "Diário Oficial da União" no dia 14 de julho. A proposta do Governo Federal é compensar os estados que perderem com a possível unificação do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e busca viabilizar a reforma no tributo. No entanto, governadores estão temerosos!